ABEL BRAGA PREGA INTELIGÊNCIA CONTRA NACIONAL POTOSÍ PELA SULAMERICA

Redação Profissional há 1 ano
Abel também projetou o jogo de volta na altitude e falou sobre....

Nesta quarta-feira o Fluminense estreia na Copa Sul-Americana contra o Nacional Potosí, da Bolívia, às 21h45 no Maracanã. Antes de comandar as atividades no CT da Barra nesta terça-feira, o técnico Abel Braga falou em coletiva sobre suas expectativas para o confronto. Para o treinador, será preciso inteligência para construir um bom placar sem sofrer gols. Abel também projetou o jogo de volta na altitude e falou sobre o novo reforço do Tricolor, o atacante João Carlos.

SUL-AMERICANA
Sair para jogar numa altitude de quatro mil metros causa uma apreensão para o primeiro jogo. Aqui vai ser um jogo em que teremos que atacar com inteligência, sempre com a preocupação de não sofrer gols. Não vamos mudar em nada nosso jeito de jogar, mas é impossível deixar de pensar que daqui há algumas semanas vamos fazer o segundo jogo na altitude e isso dá uma vantagem muito grande para o adversário.

NACIONAL
É uma equipe que estamos analisando, inclusive com informações de um treinador brasileiro que está na Bolívia e gentilmente nos passou algumas coisas importantes. Mas agora chegaram três argentinos que foram contratados justamente para jogar a Sul-Americana. Isso nos incomoda um pouco em relação a tudo aquilo que observamos.

EQUIPE
Hoje não é mais uma equipe muito jovem como era a do ano passado. Contra a LDU, fomos buscar a classificação numa altitude de 2.800 metros, tínhamos o Pedro, o Léo e o Nogueira participando pela primeira vez de um jogo internacional na altitude. Então, teremos jogadores que já participaram com uma experiência maior. Vamos para o jogo sabendo o que temos que fazer e o que não devemos fazer, porque são 180 minutos. E os últimos 90 serão de um grau de dificuldade muito maior.

JOÃO CARLOS
Esse jogador foi observado por nós quando soubemos do interesse de dois grandes clubes do Brasil nele. É um jogador que prende muito bem a bola na frente, um jogador ambidestro, de luta. E isso nós constatamos nesses últimos jogos que fizemos contra a Cabofriense.

ATACANTES
O Marcos Júnior é um jogador que está começando agora a entender o que deve ser feito e como deve ser feito. É um jogador que não se poupa, não se guarda e agora deixou de ser o cara dos últimos 30 minutos, mas precisa aumentar o tempo dele em campo. O Pedro, se você analisar os caras de área, ele está inserido tecnicamente entre os melhores do país. Ainda tem muita coisa que falta, mas nota-se que ele está crescendo. Acho que agora acabou a desconfiança para ele e para o torcedor. Mas o jogador tem que mostrar a cada jogo, a cada dia.

TRABALHO
Eu estou tirando o meu melhor e tirando tudo o que posso dos meus jogadores. Essa é uma atitude que eu tenho, tirar o máximo dos meus jogadores. Não sei o que iremos viver esse ano, mas espero que algumas situações do ano passado não se repitam. Ano passado o imponderável surgiu pelo número de contusões. Fiquei sem Sornoza, depois sem Douglas, o Calazans não voltou até agora. Esse ano a equipe está bem, não tinha perdido nenhum clássico, só tinha tomado um gol em clássicos, sem mudar jogador nenhum. Então, não surgindo um número tão elevado desse tipo de situação, acho que a gente pode fazer coisas mais positivas e interessantes que no ano que passou.

 

Notícias Relacionadas